Exames - Hospital de Olhos Francisco Vilar

ACUIDADE VISUAL A LASER – PAM

ACUIDADE VISUAL A LASER - PAMAvalia o potencial de visão do paciente. É a medida da acuidade visual potencial: ajuda a estabelecer o prognóstico visual de pacientes que deverão se submeter a certas cirurgias como catarata, transplante de córnea e vitrectomia.
O exame de acuidade visual a laser é indicado para todo paciente que, por alguma razão (doença ocular, trauma, catarata, etc..) não alcance boa visão ao exame de refração, mesmo depois de se tratar todo o grau indicado. No pré-operatório de cirurgia de catarata o exame normalmente é solicitado para comparar a acuidade visual do paciente antes e depois da cirurgia, para ver o quanto teve de melhora de visão.


AUTO REFRAÇÃO COMPUTADORIZADA

AUTO REFRACAO COMPUTADORIZADAO exame de auto refração é realizado antes da entrada do paciente no consultório.  É realizado para identificar a acuidade visual e o grau de óculos do paciente. O auto refrator é o equipamento utilizado para identificar automaticamente o grau de refração aproximado.

Dentro do consultório projeta-se tabelas contendo desenhos ou letras a uma correta distância onde o paciente informa o que está vendo, através de um aparelho composto por um conjunto de lentes corretivas usado para encontrar o grau de refração que melhor satisfaça a acuidade visual do paciente.


AVALIAÇÃO DAS VIAS LACRIMAIS

AVALIACAOO DAS VIAS LACRIMAISConsiste na sondagem e irrigação das vias lacrimais para avaliar a sua capacidade de drenagem da lágrima para as fossas nasais. Várias patologias podem afetar as vias lacrimais, como infecções ou obstruções. Estes exames determinaram o exato sítio de obstrução das vias lacrimais e com isto o oftalmologista saberá a conduta mais adequada para cada caso.

 


BIOMETRIA (IOL MASTER E IMERSÃO)

BIOMETRIA (IOL MASTER E IMERSAO)O exame de ecobiometria é utilizado para fazer medidas do globo ocular, como a profundidade e seguimento anterior do olho, espessura do cristalino, comprimento do cristalino ou do comprimento total do olho. Este exame irá fornecer o cálculo do grau da lente intraocular que será implantada na cirurgia de catarata.


CAMPIMETRIA COMPUTADORIZADA (CAMPO VISUAL)

CAMPIMETRIA COMPUTADORIZADA (CAMPO VISUAL)O campo visual é um exame oftalmológico que avalia a percepção visual central e periférica, identificando qualquer alteração ou redução visual. Utilizado para diagnosticar o glaucoma, doenças neurológicas, entre outras.


CAPSULOTOMIA (YAG LASER)

CAPSULOTOMIA (YAG LASER)Após a realização da cirurgia de catarata costuma ocorrer em grande percentual de pacientes, a opacificação da membrana na qual se apoia a lente intraocular. Esta perda de transparência irá acarretar uma redução da qualidade e quantidade de visão, e podem ocorrer meses ou até mesmo anos após a cirurgia.
O tratamento é indolor, feito ambulatoriamente com o uso de colírio anestésico, após a dilatação da pupila, e irá proporcionar uma grande melhora visual após a sua realização.


CERATOMETRIA COMPUTADORIZADA

CERATOMETRIAA ceratometria é um exame realizado por computador e mede a curvatura da superfície corneana. Esta avaliação é indispensável para adaptação de lentes de contato e cálculo da lente intraocular a ser implantado durante a cirurgia de catarata e cirurgia fácica (lensectomia).


CERATOSCOPIA COMPUTADORIZADA (TOPOGRAFIA)

CERATOSCOPIAAnalisa a curvatura da córnea em toda a sua extensão desde o seu centro até a sua periferia e avalia as alterações de sua superfície como a regularidade e a simetria, permitindo identificar astigmatismos e outras irregularidades na córnea, como o ceratocone.

Esse exame oftalmológico é indicado também em pré e pós-operatórios de cirurgias refrativas, cirurgia fácica (lensectomia), cirurgia de catarata, transplante de córnea, e na adaptação de lentes de contato.


CURVA TENSIONAL DIÁRIA

CURVA TENSIONA DIARIAÉ um exame realizado dentro do consultório, consiste na medição da pressão intraocular em diferentes horários ao longo do dia. É muito importante no diagnóstico e no monitoramento do glaucoma, pois sabe-se que a pressão intraocular sofre oscilações nas 24 horas. Geralmente se faz de 3 a 4 medidas distribuídas entre as 8 e 18 horas. É aconselhável que o exame não seja feito com a pupila dilatada, devida à alteração que a pressão intraocular, sofre com o uso de colírios dilatadores.


FOTOCOAGULAÇÃO A LASER

FOTOCOAGULACAO A LASERO laser é indicado para pessoas que apresentam doenças que afetam os vasos sanguíneos do olho, como ocorre nos diabéticos. Pacientes que apresentam degenerações periféricas ou ropturas na retina predisponentes ao descolamento de retina também necessitam desse tratamento

Na fotocoagulação, mira-se um raio laser na retina para selar os vasos sanguíneos, com pequenas aplicações, reduzindo aí o edema macular (mácula é a região da retina que possibilita ver detalhes minúsculos, como letras e números).

A fotocoagulação a laser normalmente é realizada em regime ambulatorial (dispensa internação) e a maioria dos tratamentos é feita apenas com a instilação de colírio anestésico, necessita de dilatação da pupila. Normalmente faz um olho por vez, o paciente sai com a visão embaçada e às vezes dolorido. É necessário acompanhante.


FOTOTRABECULOPLASTIA

A trabeculoplastia a laser é uma forma nãFOTOTRABECULOPLASTIAo invasiva de redução da pressão intraocular, o laser aumenta a drenagem do humor aquoso, reduzindo a pressão intraocular, a exemplo do efeito de alguns colírios. Geralmente usado para tratar glaucoma de ângulo aberto onde pequenos furos são feitos com laser na área de drenagem trabecular para permitir que o humor aquoso drene mais livremente. Tem como efeitos colaterais a inflamação da câmara anterior do olho, e não pode ser repetido mais do que uma vez.

Não necessita de dilatação, mas o paciente deve vir acompanhado, após o laser a visão fica distorcida. É realizada com anestesia tópica, em regime ambulatorial, com o auxílio de uma lente especial que se apoia sobre a córnea. É um procedimento rápido, indolor. Após o tratamento é prescrito colírio anti-inflamatório e é solicitado ao paciente que mantenha seus colírios hipotensores.


GONIOSCOPIA

GONIOSCOPIAÉ um exame realizado no consultório que, utilizando lentes especiais apoiadas sobre a córnea, permite o estudo do ângulo da câmara anterior (onde a íris encontra-se com a córnea). É realizado utilizando-se a lâmpada de fenda (biomicroscópio) e é essencial na avaliação e no tratamento de pacientes portadores ou suspeitos de glaucoma. Não pode ser feito com a pupila dilatada.


IRIDECTOMIA A LASER

IRIDECTOMIA A LASERÉ um procedimento realizado para casos de glaucoma de ângulo fechado ou estreito e para realizar pupiloplastia. Os pacientes devem vir com acompanhante e necessitam alguns cuidados especiais após realizá-lo, como por exemplo, não fazer esforço físico intenso durante um curto período.


MAPEAMENTO DE RETINA

MAPEAMENTO DE RETINAO mapeamento de retina é um exame oftalmológico realizado dentro do consultório com oftalmoscópio indireto, que permite a análise de todas as estruturas encontradas no fundo do olho como a retina, o nervo óptico e o vítreo.

Com o mapeamento, é possível diagnosticar ou avaliar a evolução de doenças sistêmicas, entre elas diabetes e hipertensão arterial.

O exame de mapeamento de retina também é indicado para diagnosticar doenças oculares como descolamento de retina, degenerações retinianas, doenças da mácula, tumores, oclusões vasculares, hemorragias e infecções.


MICROSCOPIA ESPECULAR DE CÓRNEA

MICROSCOPIA ESPECULAR DE CORNEAO exame de microscopia especular de córnea é o exame que mostra a densidade e a qualidade das células do endotélio corneano, mostra a quantidade de células da córnea.

É um exame fundamental em pacientes candidatos a cirurgia refrativa, cirurgia de catarata, ceratocone, controle de uso de lente de contato e ou alterações corneanas.


PAQUIMETRIA ULTRASSÔNICA

PAQUIMETRIA ULTRASSONICAA paquimetria é um exame que mede a espessura da córnea. É indicado nos casos de suspeita de glaucoma, edema de córneas e pré-operatórios de cirurgias refrativas. É um exame indolor e de rápida execução. O paciente deve estar sem óculos ou lentes de contato caso faça uso. Para sua realização é apenas necessária a instilação de uma gota de colírio anestésico e que o paciente fixe o olhar no ponto determinado pelo médico, para que com uma sonda ultrassônica sejam feitas as medidas.

 


PENTACAM (TOMOGRAFIA DA CÓRNEA E DO SEGMENTO ANTERIOR)

pentacamÉ um exame de última tecnologia para avaliar a córnea, a câmara anterior do olho, a íris e o cristalino. As imagens tomográficas são obtidas em 360° e em terceira dimensão. Avalia conjuntamente a elevação, a curvatura e a espessura em todos os pontos da córnea. O Pentacam é realizado antes de cirurgias refrativas a laser e em doenças da córnea como o ceratocone. Também pode ser utilizado para detectar e quantificar o grau de catarata.

Usuários de lentes de contato devem suspender o uso pelo menos 72h antes do exame. Não é necessário dilatar.


RETINOGRAFIA COLORIDA

RETINOGRAFIA COLORIDAConsiste na fotografia do fundo do olho. O exame permite a documentação de alterações na retina e no nervo óptico, fundamental no acompanhamento de doenças progressivas.


RETINOGRAFIA FLUORESCENTE OU ANGIOFLUORESCEINOGRAFIA

RETINOGRAFIA FLUORESCENTE OU ANGIOFLUORESCEINOGRAFIAAnalisa a retina, a coróide e os vasos sanguíneos através de fotos obtidas com uma iluminação especial e com uso de filtros. O exame utiliza um contraste chamado fluoresceína que permite o estudo de camadas diferentes dessas estruturas do fundo do olho. É utilizado para o acompanhamento e diagnóstico de doenças como a retinopatia diabética, degeneração macular, oclusões vasculares da retina, entre outras.


ROSA BENGALA

ROSA BENGALAAvalia a presença de um volume lacrimal reduzido através da detecção de células epiteliais danificadas. Exame realizado com auxílio de um corante especial denominado Rosa Bengala e utilizado para diagnóstico de olho seco.  Não haverá dilatação de pupilas. Feito no consultório pelo médico utilizando o colírio de rosa bengala.


TESTE DE SCHIRMER

TESTE DE SCHIRMERÉ um teste para avaliar a produção de lágrima. Uma pequena fita de papel é colocada sob a pálpebra inferior e a quantidade de umedecimento é medida. É fundamental quando se suspeita de olho seco.


TESTE DO OLHINHO

TESTE DO OLHINHOO teste do olhinho é um exame realizado em bebês, e que pode detectar e prevenir diversas patologias oculares, assim como o agravamento dessas alterações, como uma cegueira irreversível.

O teste do olhinho, não dói, não precisa de colírio e é rápido, consiste numa fonte de luz sai de um aparelho chamado oftalmoscópio, onde é observado o reflexo que vem das pupilas. Quando a retina é atingida por essa luz, os olhos saudáveis refletem tons de vermelho, laranja ou amarelo. Já quando há alguma alteração, não é possível observar o reflexo ou sua qualidade é ruim, esbranquiçada. A comparação dos reflexos dos dois olhos fornece informações importantes, como diferenças de grau entre olhos ou o estrabismo.

O teste do olhinho previne e diagnostica doenças como a retinopatia da prematuridade, catarata congênita, glaucoma, retinoblastoma, infecções, traumas de parto e a cegueira.


TESTE ORTÓPTICO

TESTE ORTOPTICOTeste ortóptico é o exame oftalmológico realizado, para analisar a existência de alguma alteração da motilidade ocular (movimento dos olhos) provocadas pelo desequilíbrio de alinhamento dos olhos como, por exemplo, estrabismo (olho desviado), insuficiência de convergência (dificuldade de convergência para fixar um objeto próximo) e ambliopia (baixa acuidade visual de um ou ambos os olhos).

No teste ortóptico é feita a avaliação do alinhamento ou desvio ocular em todas as posições do olhar, como também das alterações da musculatura extrínseca dos olhos (músculos dos olhos responsáveis pelos movimentos oculares).

Também são realizados testes sensoriais da visão binocular (uso simultâneo dos olhos) e suas funções, como, por exemplo, a percepção simultânea das imagens, a visão estereoscópica (visão em terceira dimensão), e a análise da força muscular de fixação.


TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA – OCT

TOMOGRAFIA DE COERENCIA OPTICA - OCTO OCT permite a obtenção de imagens bem detalhadas e a detecção de alterações internas na retina que outros exames não permitem identificar. Ele possibilita também medidas bem precisas da espessura e de lesões da retina

É indicado no auxílio do diagnóstico de degeneração macular relacionada à idade; coriorretinopatia serosa central; buraco macular; edema macular; membrana epirretiniana; uveítes e tração vítreo-macular. Na avaliação do paciente com suspeita de Glaucoma (de forma a favorecer um diagnóstico mais precoce desta patologia).  É necessário a dilatação da pupila.


TONOMETRIA COMPUTADORIZADA E DE APLANAÇÃO

TONOMETRIA COMPUTADORIZADA E DE APLANACAOExame que faz a medida da pressão intraocular, fundamental para o diagnóstico de glaucoma. O tonômetro de sopro é menos preciso e deve ser utilizado somente para triagem. É realizado em todos os pacientes como exame preventivo de glaucoma juntamente com a autorefração. Caso a pressão ocular esteja acima do valor normal o medico ira repetir o exame no consultório com o aparelho de contato. Por não sofrer interferência da espessura da córnea, oferece valores mais confiáveis da pressão intraocular nos casos de córneas muito finas (como nos olhos que foram submetidos à cirurgia refrativa) ou muito espessas. Fornece os valores de pressão sistólica e diastólica do olho (máxima e mínima).


ULTRASSONOGRAFIA OCULAR

AULTRASSONOGRAFIA OCULAR ultrassonografia ocular é um exame utilizado para avaliação das estruturas internas do globo ocular (ex. cristalino, cavidade vítrea, retina) e cavidade orbitária (ex. músculos, nervo óptico, etc.). É essencial no estudo de várias outras doenças oculares como tumores, doenças da coróide, esclera e órbita. É realizado somente pelo médico.

Para realização não é necessário dilatar a pupila, é utilizado metilcelulose um tipo de gel especial que é posto na ponta da sonda e inicia-se o procedimento com colocação das ondas sobre as pálpebras.

São várias as indicações. Avaliação de queixas visuais de pontos escuros (moscas volantes) e flashes de luz (fotopsia), nas opacificações que dificultam o exame do fundo do olho como catarata, em processos inflamatórios, infecciosos e hemorrágicos, traumas, localização de corpos estranhos, descolamento de retina e tumores.