Problemas de visão na infância podem interferir no aprendizado

Postado em: 17/01/2018 ás 3:12 PM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

Segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), cerca de 12% das crianças que estão em idade escolar e pré-escolar precisam de óculos, contudo, muitas vezes; o problema não é percebido por pais e professores, o que acaba refletindo no aprendizado em sala de aula.

A oftalmologista Carolina Maia explica que existem algumas características que podem ajudar na identificação dos problemas. “Geralmente as crianças que têm algum problema de visão ficam desatentas, agitadas e muitas vezes saem da sua carteira escolar e ficam em frente a lousa. Por isso é importante os pais observarem e procurarem a ajuda de um especialista”, afirma a médica.

E acrescenta outros fatores: “Sinais de lacrimejamento, fotofobia, falta de interesse pelo ambiente e pessoas; olhos vermelhos ou desviados para o nariz ou para fora, irritação após esforço visual e fechar um dos olhos em locais ensolarados, são outros sintomas que as crianças apresentam”.

As reclamações infantis sobre dores de cabeça e nos olhos devem ter um tratamento rápido, pois a visão se desenvolve até os sete anos de idade. “Como a formação completa da visão da criança é bem cedo, o não uso de óculos pode atrapalhar o processo de desenvolvimento da visão, podendo levar a ambliopia e estrabismo”, explica a especialista.

O teste do olhinho que é realizado assim que o bebê nasce é um dos exames que contribui para identificação de doenças congênitas, como a catarata, glaucoma ou retinoblastoma. A especialista recomenda que a primeira visita ao oftalmologista seja ainda nos primeiros anos de vida. “Quando se há um histórico familiar de problemas de visão, deve-se redobrar os cuidados. É necessário fazer exames oftalmológicos semestralmente nos dois primeiros anos de vida e anualmente após essa fase” finaliza Dra. Carolina Maia. 

Comments are closed.