Prótese ocular auxilia na reabilitação e autoestima

Postado em: 22/03/2017 ás 1:01 PM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

A perda de um olho traz graves consequências físicas e também psicológicas, afetando diretamente a autoestima do paciente. Atualmente as próteses oculares são um atenuante para aqueles que enfrentam o problema da perda ocular.

O avanço tecnológico permitiu o surgimento de próteses personalizadas que imitam o olho como se ele fosse natural. Elas funcionam como uma ferramenta de reabilitação e atuam na melhoria da estética e na aceitação pessoal e social do paciente. “Sem o olho natural, a face ganha um aspecto diferente que incomoda esteticamente muitos pacientes. Apesar da prótese não ajudar a pessoa voltar a enxergar, ainda assim, auxilia a manter uma boa estética, dando conforto ao indivíduo e melhorando sua autoestima”, comenta a especialista em Plástica Ocular, Dra. Lílyan Moura Fé.

A oftalmologista esclarece ainda, que as causas que levam à perda do olho são as mais variadas. “ A perda de um olho pode acontecer por traumas, tumores, complicações provenientes de outras doenças oculares e problemas congênitos. Com o tempo, o olho cego pode ir atrofiando progressivamente.”, explica.

Nestes casos, a prótese e as conchas esclerais são ótimas opções. “As próteses oculares são adaptadas em pacientes que não tem mais o olho, ou seja, aqueles que foram submetidos à cirurgia de evisceração. Já as conchas esclerais são indicadas para pacientes que possuem um olho atrófico”, disse.

O processo de implante é rápido e realizado ambulatoriamente. Na consulta é observada qual a prótese é mais adequada para o paciente, comparando características como tamanho da prótese e da íris, coloração da íris e da esclera, entre outros.

Após o implante devem ser adotados alguns cuidados. “É aconselhável realizar uma limpeza da prótese uma vez por semana para evitar a aderência de depósitos proteicos que a lágrima possui. Também recomenda-se realizar um controle do polimento em laboratório pelo menos uma vez por ano. E nunca utilizar álcool na limpeza da prótese”, recomenda a médica.

Em relação à duração da prótese, Lílyan fala que depende da idade do paciente e do cuidado que ele tem com a mesma. “Quando o acrílico envelhece, aumenta sua porosidade e, consequentemente, são acumuladas bactérias que produzem aumento de secreção. Se isso acontecer significa que chegou a hora de trocar a prótese ocular. Geralmente é aconselhável renovar a prótese pelo menos a cada cinco anos”, disse.

Todos os procedimentos devem ser realizados com acompanhamento médico especializado, para evitar infecção. “Após um tempo de uso, a prótese pode desenvolver imperfeições que podem inflamar o olho causando infecções de repetição“, finaliza a especialista em Plástica Ocular.

Comments are closed.