Pterígio é mais comum entre população que vive em cidades mais quentes

Postado em: 13/07/2018 ás 11:41 AM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

Pessoas que vivem em cidades com grande incidência de raios solares, como Teresina, estão mais suscetíveis ao aparecimento de problemas oculares como o pterígio, lesão benigna que consiste em uma pequena membrana na superfície do olho.

Com o passar do tempo, o pterígio pode crescer em direção à córnea e atingir a visão. Além disso, a lesão pode provocar sintomas como coceira, irritação, ardor, sensação de cisco no olho e fotofobia, que é a sensibilidade à luminosidade.

De acordo com a oftalmologista Amanda Paz, para prevenir o surgimento da lesão é fundamental que a população proteja corretamente os olhos. “O uso de óculos escuros com proteção contra os raios ultravioletas é imprescindível, mesmo em dias nublados ou dentro de veículos”, alerta a especialista. As formas de tratamento incluem o uso de colírio para aliviar os sintomas, além da cirurgia para remoção do pterígio.

Dra. Amanda Paz destaca os melhores tratamentos para o pterígio

“O procedimento cirúrgico só é indicado no momento em que a lesão encontra-se extensa, causando prejuízo estético ou no campo de visão e quando o paciente sente irritação frequente. Nestes casos, contamos com diversas técnicas para o tratamento do pterígio, sendo a mais moderna a que utiliza o transplante conjuntival”, pontua Dra. Amanda Paz.

O transplante conjuntival reduz as chances do surgimento de um novo pterígio após a remoção cirúrgica. O adesivo de fibrina, utilizado durante a cirurgia, é uma moderna cola biológica que acelera a recuperação e oferece um pós-operatório mais tranquilo, uma vez que, não há necessidade de pontos cirúrgicos.

Comments are closed.