RETINA: Tratamento com Eylia, infusões que salvam a mácula

Postado em: 16/04/2014 ás 2:06 PM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário / Tags:, , ,

Após os 60 anos é comum algumas pessoas apresentarem problemas na visão como vista cansada e dificuldade para enxergar, sinais que devem ser acompanhados cuidadosamente por um especialista para diagnosticar e tratar doenças como a já conhecida catarata e outra quase que desconhecida, mas extremamente perigosa: a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), uma das principais causas de cegueira no mundo. A doença é traiçoeira porque pode não atingir os dois olhos simultaneamente e a perda de visão ser gradual. Desta forma um olho pode compensar o outro e embaçamentos e distorções serem ignorados.

Tratamento

Dra. Raquel FonsecaA DMRI do tipo úmida tem como uma das características o aparecimento de vasinhos anormais na retina, que propiciam inchaços e hemorragias. O sufoco pega quando a fóvea (centro da mácula), porção da retina que assegura a visão central e a nitidez das imagens, é comprometida. Para impedir que ela entre em falência, o tratamento ocular com antiangiogênico vem evoluindo nos últimos anos, seja pelas medicações disponíveis ou pela gama de doenças oculares passíveis de tratamento por essa via.

Um dos medicamentos mais avançados e bastante eficaz já é utilizado no Hospital de Olhos Francisco Vilar. Trata-se do Eylia, que consiste numa terapia anti-VEGF, que barra a proliferação de vasinhos anômalos que danificam a retina, impedindo que apareça o inchaço e a hemorragia retiniana.

De acordo com a especialista em Retina e Vítreo, Dra. Raquel Fonseca, o tratamento tem obtido bons resultados e precisa ser repetido em intervalos regulares para que os efeitos sejam melhores e contínuos. “O procedimento consiste na administração de medicação dentro da cavidade vítrea, bloqueando o crescimento de novos vasos na retina e diminuindo o edema e sangramento, melhorando a visão e a qualidade de vida dos pacientes”, destaca a médica.

Comments are closed.