Catarata pode levar a cegueira se não tratada

Postado em: 19/12/2018 ás 3:00 PM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Agência Internacional de Prevenção da Cegueira (IAPB, do inglês International Agency for Prevention Of Blindness), aproximadamente 75% dos casos de cegueira são tratáveis ou reversíveis. No mundo, o número de pessoas cegas ou com visão comprometida chega a 253 milhões.

A principal causa de cegueira reversível é a catarata. Aproximadamente 50% da população mundial tem incapacidade visual causada pela doença. O Brasil apresenta cerca de 550 mil novos casos da doença por ano.

O oftalmologista César Vilar explica que a catarata é caracterizada pela opacidade do cristalino. “O cristalino é uma lente natural do olho que tem como finalidade focalizar as imagens na retina. A catarata causa perda na transparência dessa lente, tornando-a opaca progressivamente. Com o tempo, a visão vai piorando e pode chegar à cegueira”, afirma.

Existem dois tipos de catarata: as congênitas e as adquiridas. As congênitas acontecem quando a criança já nasce com a doença por diversos fatores. “A catarata congênita pode ser causada por doenças que a mãe teve na gravidez, como rubéola ou toxoplasmose. Nesses casos o recomendável é que a criança seja operada nos primeiros meses de vida”, diz Dr. César Vilar.

Dr. César Vilar destaca que a catarata pode levar a cegueira se não tratada

Já as cataratas adquiridas ocorrem, na maioria das vezes, devido ao envelhecimento natural, em geral a partir dos 50 anos de idade. Segundo Dr César Vilar, a pessoa que sentir dificuldades para enxergar precisa procurar atendimento médico, pois a doença aumenta à medida que a pessoa vai envelhecendo. “Aos 40 e 49 anos, cerca de 2,5% das pessoas teriam catarata. Já com 50 a 59 anos, esse percentual passa para 6,8 %. Na idade de 60 a 69, cerca de 20% das pessoas já têm a doença e com 70 a 79 anos são 42% e após os 80 anos quase 70% da população mundial tem catarata”, detalha o oftalmologista. Pode ainda ocorrer a catarata após a ocorrência de traumas nos olhos, algumas doenças e após o uso de alguns medicamentos.

O tratamento da catarata é a cirurgia, que remove o cristalino opacificado e a substitui por uma lente artificial transparente, restaurando a entrada de luz para o olho. “A cirurgia é bastante segura e a recuperação é rápida e indolor na maioria dos casos. Entretanto, em cataratas muito avançadas, a cirurgia torna-se mais difícil e as chances de ocorrerem complicações aumentam. Por isso, hoje recomendamos a cirurgia mais antecipadamente”, afirma o Dr. César Vilar.

Esse é o caso do Antonio Alves. Aos 55 anos, ele diz que a cirurgia mudou sua vida: “Tinha muita dificuldade para ler, assistir TV e pilotar minha moto, principalmente durante a noite. Após a cirurgia tudo melhorou. Vejo tudo mais nítido e posso realizar minhas atividades”, pontua Antônio Alves.

Comments are closed.