Edema macular diabético é a principal causa de cegueira em diabéticos

Postado em: 14/11/2018 ás 10:42 AM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

Dia 14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes. A doença afeta diversos órgãos do corpo, inclusive os olhos. Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, cerca de 40% dos diabéticos sofrem de alguma alteração oftalmológica. E de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, no Brasil são cerca de 13,4 milhões de pessoas são portadoras de diabetes. Desse total, 90% deve desenvolver retinopatia diabética ao longo da vida.

Se a doença não for controlada adequadamente, existe uma grande possibilidade do surgimento do Edema Macular Diabético (EMD). “Isso ocorre devido ao excesso de açúcar no sangue, fazendo com que os vasos sanguíneos dos olhos não consigam reter líquido, levando ao inchaço da retina e prejudicando a visão”, explica o oftalmologista Clóvis Carvalho.

Dr. Clóvis Carvalho orienta os cuidados com o olho diabético.

O especialista acrescenta que o problema surge em decorrência da retinopatia diabética, lesão de pequenos vasos sanguíneos que mantêm a retina, e faz um alerta.  “O edema macular diabético é a principal causa de cegueira irreversível em diabéticos. Esses pacientes devem ficar atentos, pois a doença é silenciosa e a perda visual é progressiva e indolor, não apresentando sinais como olhos vermelhos ou secreções”, ressalta Dr. Clóvis Carvalho.

Se não houver um bom controle do diabetes, o EMD pode acometer qualquer faixa etária e desenvolver-se em qualquer estágio da retinopatia, até mesmo nos estágios mais leves . “Grande parte dos pacientes só descobrem que têm o problema quando já perderam a visão em um dos olhos. Nosso alerta é para que os diabéticos façam o controle clínico da doença ocular anualmente, com visitas ao oftalmologista para um diagnóstico o mais precoce possível”, recomenda Dr. Clóvis Carvalho.

Sintomas

A retinopatia diabética tem como sintomas: perda da visão central, visualização de manchas no campo de visão, distorção das imagens e até mesmo perda total da visão.

O melhor tratamento para essa doença ocular é praticar um estilo de vida saudável, com um controle adequado da glicemia, associado ao combate a outros fatores de risco, tais como: obesidade, hipertensão arterial, fumo, colesterol elevado. Além disso, avaliações periódicas ao oftalmologista devem ser feitas, com o intuito de prevenir a retinopatia e instituir a intervenção mais  apropriada naqueles em que a doença já se desenvolveu.

Comments are closed.