Setembro Amarelo – Palestra em defesa da vida

Postado em: 16/09/2019 ás 9:20 AM / Categorias: Notícias / Nenhum Comentário /

No Brasil, o mês de setembro é todo dedicado à campanha Setembro Amarelo, uma iniciativa para prevenção ao suicídio. A campanha foi criada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em 2015.

O Hospital de Olhos Francisco Vilar (HOFV) é uma das empresas que aderiu à iniciativa incentivando seus colaboradores na promoção da qualidade e defesa da vida. Por isso, durante todo o mês, o HOFV vem promovendo ações internas para reforçar o movimento.

Nesta sexta-feira (13) aconteceu a palestra: ‘Suicídio, vamos falar sobre isso?’, com o Padre Cristiano Batista, autor do livro ‘Falar da morte para viver alegre e esperançoso’ e professor universitário na Faculdade de Filosofia e Teologia (ICESP). O tema foi tratado com um ponto de vista diferente, que é o espiritual.

“O suicídio deve ser uma questão que todos nós devemos conversar e todos nós devemos tratar na perspectiva de viver bem. Falamos do fortalecimento do ponto de vista espiritual e com maturidade psicológica para ajudar a vencer as dores, o sofrimento e os obstáculos da vida. É uma abordagem que eu faço para ajudar as pessoas a realmente saber viver e conquistar um estado de espírito e de felicidade. Saber sobreviver ao luto, se prevenir e combater tanto e ideação, quanto os desejos de autodestruição. Por isso, trabalhamos alguns aspectos na dimensão que precisamos cultivar ao longo da vida com uma abordagem teológica, filosófica e também psicológica e psiquiátrica”, disse Cristiano.

Além da palestra, na ocasião foi apresentado o novo protocolo institucional: ‘Protocolo Organizacional de Prevenção ao Suicídio’, desenvolvido pela psicóloga do HOFV, Geovanna Borges, e pelo setor de enfermagem.

“Hoje nós temos vários protocolos de segurança, para casos de acidentes diversos. Neste ano estamos divulgando um novo para situações onde possa acontecer um suicídio ou tentativa dentro do hospital. O protocolo mostra o que fazer diante de uma situação de um colaborador o/ou um paciente que tenha a ideação de suicido dentro da instituição. Criamos esse protocolo para ajudar os colaboradores a saberem qual o fluxo deve ser percorrido caso aconteça situações dessas e assim primeiramente evitar as ideações suicidas”, explicou Geovanna.

Comments are closed.